o livro é seu. eu te dedico.
Syl,Nos corredores largos do metrô Ana Rosa, por três vezes topei com um sujeito barbudo e ensacadinho que carregava uma sacola plástica de supermercado, cheia de papéis, e equilibrava um caderno velho por baixo do braço.Tempos depois, quando o vi na primeira montagem desta história no teatro e a figura de Marçal Aquino me surgiu na primeira pesquisa que fiz sobre o seu nome, descobri que, além de meu vizinho, o homem misterioso do metrô era um escritor que só precisava dos títulos dos seus livros para fazer tremer o chão debaixo dos pés de quem lê.Como você (e como eu, coisa que ainda não te contei), Marçal escreve seus trechos à mão em cadernos antes de entregá-los, digitados, para os editores. Fico me perguntando se em alguma daquelas vezes em que topei com ele não era o rascunho deste livro que ele carregava debaixo do braço.Fico me perguntando também que tipo de variações de títulos eu teria para te dar de presente se aquele caderno tivesse se perdido nos corredores ou nos trilhos daquele metrô.Fico me perguntando, ainda, o que quero que você encontre nas histórias de Rímini, Sofía, Lavínia e Cauby. Talvez o meio metro de chão que eles tiraram de mim quando cruzaram meu caminho. Talvez o volume de ar que eles me tiraram.Ou talvez queira que você os perca também. E que a gente os encontre juntos, em algum lugar fora dessas páginas.Cheiro de goiaba (pro Gabo não ficar com ciúmes de novo),Tiago.

>Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios . Marçal Aquino>Enviada por Sylvia Britto (coleção particular)

Syl,

Nos corredores largos do metrô Ana Rosa, por três vezes topei com um sujeito barbudo e ensacadinho que carregava uma sacola plástica de supermercado, cheia de papéis, e equilibrava um caderno velho por baixo do braço.

Tempos depois, quando o vi na primeira montagem desta história no teatro e a figura de Marçal Aquino me surgiu na primeira pesquisa que fiz sobre o seu nome, descobri que, além de meu vizinho, o homem misterioso do metrô era um escritor que só precisava dos títulos dos seus livros para fazer tremer o chão debaixo dos pés de quem lê.

Como você (e como eu, coisa que ainda não te contei), Marçal escreve seus trechos à mão em cadernos antes de entregá-los, digitados, para os editores. Fico me perguntando se em alguma daquelas vezes em que topei com ele não era o rascunho deste livro que ele carregava debaixo do braço.

Fico me perguntando também que tipo de variações de títulos eu teria para te dar de presente se aquele caderno tivesse se perdido nos corredores ou nos trilhos daquele metrô.

Fico me perguntando, ainda, o que quero que você encontre nas histórias de Rímini, Sofía, Lavínia e Cauby. Talvez o meio metro de chão que eles tiraram de mim quando cruzaram meu caminho. Talvez o volume de ar que eles me tiraram.

Ou talvez queira que você os perca também. E que a gente os encontre juntos, em algum lugar fora dessas páginas.
Cheiro de goiaba (pro
Gabo não ficar com ciúmes
de novo),

Tiago.

>Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios . Marçal Aquino

>Enviada por Sylvia Britto (coleção particular)



  1. brocados reblogged this from eutededico
  2. sonheiqueanevefervia reblogged this from eutededico
  3. sambitencourt reblogged this from eutededico
  4. plmoreira reblogged this from eutededico
  5. shinyasyou reblogged this from eutededico
  6. margaridanegra reblogged this from eutededico and added:
    Eu me derreto com essas coisas…
  7. eutededico posted this
Blog comments powered by Disqus