o livro é seu. eu te dedico.
Para a Adrianauma lembrança e a rima, Mario QuintanaP. al. 1981
>Esconderijos do Tempo . Mario Quintana
>Enviada por Adriana Maria (coleção particular . encontrada em sebo)
>Ela conta: Essa dedicatória não foi feita pra mim, mas resolvi adotá-la. Foi escrita no ano que eu nasci. Estava meio namorando com um cara 20 anos mais velho ( eu tinha 27 na época) e ele lembrou que tinha comprado esse livro num sebo em Florianópolis com uma dedicatória do próprio Quintana. Ele me mandou a foto da dedicatória ( como bom colecionador, não me deu o livro), que acabou funcionando como uma “rededicatória”.O lance do tempo, diferença de idade entre nós e o fato de ter sido assinado no ano em que nasci fez todo o sentido pra mim…

Para a Adriana
uma lembrança
e a rima,

Mario Quintana
P. al. 1981


>Esconderijos do Tempo . Mario Quintana

>Enviada por Adriana Maria (coleção particular . encontrada em sebo)

>Ela conta: Essa dedicatória não foi feita pra mim, mas resolvi adotá-la.
Foi escrita no ano que eu nasci.
Estava meio namorando com um cara 20 anos mais velho ( eu tinha 27 na época) e ele lembrou que tinha comprado esse livro num sebo em Florianópolis com uma dedicatória do próprio Quintana. Ele me mandou a foto da dedicatória ( como bom colecionador, não me deu o livro), que acabou funcionando como uma “rededicatória”.
O lance do tempo, diferença de idade entre nós e o fato de ter sido assinado no ano em que nasci fez todo o sentido pra mim…



"Penso que ser ‘tia coruja’ faz parte da minha identidade… Tornei-me tia muito cedo… Um misto de tia e de filha caçula… Aos dez anos de vida, recebi a notícia: “Você é titia!” Portanto, sinto que o sentimento da infância fez parte da minha experiência de ser titia algo lúdico e feliz… Sou assim até hoje: Adoro brincar, sorrir, inventar coisas, reinventar - sempre que tenho a oportunidade de conviver com os meus sobrinhos…Contigo é assim, moreninha. Adoro ‘trocar figurinhas’ contigo! Adoro participar dos teus projetos de vida… A emoção está presente quando leio seus textos…Hoje, aos quarenta e uns anos da minha vida, sinto-me orgulhosa por você. Você que é metade Clarice, metade Gabriela. A você, todo o meu amor e admiração.Para sempre,Sua titia JerusaSalvador,20.12.2010”>Clarice - Uma Vida que se Conta . Nádia Battella Gotlib
>Enviada por Gabriela Medrado (coleção particular)
>Ela conta: É meu e foi um grande presente de minha tia. Nós duas compartilhamos uma grande admiração por Clarice e a curiosidade a respeito de sua vida e circunstâncias acaba sendo inevitável. Sobretudo em tempos de rede social, onde escritores capazes de chegar tão fundo em nossas almas são citados de forma superficial, buscar (ou tentar buscar) a verdade de cada autor é muito prazeroso. O presente foi dado por uma “tia coruja”, como ela própria se intitula. E, além de coruja, uma das grandes incentivadoras pela minha paixão pelo universo da leitura!

"Penso que ser ‘tia coruja’
faz parte da minha identidade…
Tornei-me tia muito cedo… Um misto de tia e de filha caçula…

Aos dez anos de vida, recebi a notícia: “Você é titia!”
Portanto, sinto que o sentimento da infância
fez parte da minha experiência de ser titia algo lúdico e feliz…

Sou assim até hoje: Adoro brincar, sorrir, inventar
coisas, reinventar - sempre que tenho a oportunidade
de conviver com os meus sobrinhos…

Contigo é assim, moreninha. Adoro ‘trocar figurinhas’ contigo!
Adoro participar dos teus projetos de vida… A emoção
está presente quando leio seus textos…

Hoje, aos quarenta e uns anos da minha vida,
sinto-me orgulhosa por você. Você que é metade Clarice, metade Gabriela. A você, todo o meu amor e admiração.

Para sempre,
Sua titia Jerusa

Salvador,
20.12.2010”




>Clarice - Uma Vida que se Conta . Nádia Battella Gotlib

>Enviada por Gabriela Medrado (coleção particular)

>Ela conta: É meu e foi um grande presente de minha tia. Nós duas compartilhamos uma grande admiração por Clarice e a curiosidade a respeito de sua vida e circunstâncias acaba sendo inevitável. Sobretudo em tempos de rede social, onde escritores capazes de chegar tão fundo em nossas almas são citados de forma superficial, buscar (ou tentar buscar) a verdade de cada autor é muito prazeroso. O presente foi dado por uma “tia coruja”, como ela própria se intitula. E, além de coruja, uma das grandes incentivadoras pela minha paixão pelo universo da leitura!




"André e MarcelaSet/2012
'Que antes de termos
preparado todas receitas,
já estejamos morando juntosde cozinha e casa feitas.’ ”  
>Panelina . Rita Lobo
>Enviada por André Blanco (coleção particular)
>Ele conta: Primeiro livro de receitas do casal. Dedicatória escrita por eles mesmos.

"André e Marcela
Set/2012

'Que antes de termos

preparado todas receitas,

já estejamos morando juntos
de cozinha e casa feitas.’ ”  




>Panelina . Rita Lobo

>Enviada por André Blanco (coleção particular)

>Ele conta: Primeiro livro de receitas do casal. Dedicatória escrita por eles mesmos.

"Meu filho querido,Que o amor seja o pêndulo oscilante em todas as ações de sua vida.Deus te abençoe.MamãeSetembro 89”>O Pêndulo de Foucault . Umberto Eco
>Enviada por Ana Makibara Ribeiro (encontrada em sebo . coleção particular)
>Ela conta: Comprei este livro em um sebo (Lar Escola São Francisco), no começo de 2013.

"Meu filho querido,
Que o amor seja o pêndulo
oscilante em todas as ações
de sua vida.

Deus te abençoe.
Mamãe
Setembro 89”



>O Pêndulo de Foucault . Umberto Eco

>Enviada por Ana Makibara Ribeiro (encontrada em sebo . coleção particular)

>Ela conta: Comprei este livro em um sebo (Lar Escola São Francisco), no começo de 2013.

"Os homens foram educados a pedirdesculpa pelas suas fraquezas; as mulheres pela sua força”
>Todos os Homens são Idiotas - Até que se Prove o Contrário . Daylle Deanna Schwartz
>Encontrada em sebo (Livraria e Sebo Opção II - Belo Horizonte)

"Os homens foram educados a pedir
desculpa pelas suas fraquezas;
as mulheres pela sua força”


>Todos os Homens são Idiotas - Até que se Prove o Contrário . Daylle Deanna Schwartz

>Encontrada em sebo (Livraria e Sebo Opção II - Belo Horizonte)

"ThiagoQue este seja o primeiro de muitos livros que um dia irão fazer parte da nossa biblioteca.Obrigada por estar em minha vida.Eu te amo!Mais e mais a cada dia!Beijos…Sua Natália.dez/2010”
>Travessuras da Menina Má . Mario Vargas Llosa
>Enviada por Thiago Serra (coleção particular)
>Ele conta: Este é o primeiro livro que minha namorada Natália me deu, logo quando nos conhecemos no fim de 2010. O curioso é que acabei me apaixonando pelo autor e fazendo dele um dos temas de minha monografia de conclusão de curso.

"Thiago

Que este seja o primeiro de
muitos livros que um dia irão
fazer parte da nossa biblioteca.
Obrigada por estar em minha vida.

Eu te amo!
Mais e mais a cada dia!

Beijos…
Sua Natália.

dez/2010”



>Travessuras da Menina Má . Mario Vargas Llosa

>Enviada por Thiago Serra (coleção particular)

>Ele conta: Este é o primeiro livro que minha namorada Natália me deu, logo quando nos conhecemos no fim de 2010. O curioso é que acabei me apaixonando pelo autor e fazendo dele um dos temas de minha monografia de conclusão de curso.

"Camille,
Pra você que abriu as portas 
do seu mundo para eu entrar, me 
convidando para ser seu parceiro, companheiro,
amigo e namorado.

Para você que me inspira ser uma
pessoa melhor a cada dia e que me
ensina como ser esse ser humano melhor.

Te amo a cada dia, feliz dia das mulheres,
 que esse dia simbolize como 
eu te respeito, todos os dias.

Te amo.
Sempre seu,Raoni Lourenço Arraes08/03/13”
>A Convidada . Simone de Beauvoir 
>Enviada por Camille Castelo Branco (coleção particular)

"Camille,

Pra você que abriu as portas 

do seu mundo para eu entrar, me 

convidando para ser seu parceiro, companheiro,

amigo e namorado.


Para você que me inspira ser uma

pessoa melhor a cada dia e que me

ensina como ser esse ser humano melhor.


Te amo a cada dia, feliz dia
das mulheres,
 que esse dia simbolize como

eu te respeito, todos os dias.


Te amo.

Sempre seu,
Raoni Lourenço Arraes
08/03/13”


>A Convidada . Simone de Beauvoir

>Enviada por Camille Castelo Branco (coleção particular)

"Pelas madrugadas insones de boas conversas e muita bebida…”
>O Processo . Franz Kafka
>Enviada por Leo Beck (coleção particular)>Ele conta: “Este título fazia parte da minha tão amada biblioteca pessoal (com mais de 300 livros), que foi toda jogada fora pela minha ex-mulher logo depois da nossa separação. Depois do divórcio, conheci o casal Nina & Bruno e rapidamente nos tornamos grandes amigos, dos que ficam juntos em um apartamento, bebendo whisky, rum, cerveja ou tequila e, entre cigarros, conversando sobre a vida até o sol nascer.Este livro me foi dado por eles, sem data especial, simplesmente porque passaram em um sebo e se lembraram de mim.”

"Pelas madrugadas insones
de boas conversas e
muita bebida…”


>O Processo . Franz Kafka

>Enviada por Leo Beck (coleção particular)

>Ele conta: “Este título fazia parte da minha tão amada biblioteca pessoal (com mais de 300 livros), que foi toda jogada fora pela minha ex-mulher logo depois da nossa separação.
Depois do divórcio, conheci o casal Nina & Bruno e rapidamente nos tornamos grandes amigos, dos que ficam juntos em um apartamento, bebendo whisky, rum, cerveja ou tequila e, entre cigarros, conversando sobre a vida até o sol nascer.
Este livro me foi dado por eles, sem data especial, simplesmente porque passaram em um sebo e se lembraram de mim.”

"Querida Michelle!Eis o livro que tanto desejas. Entretanto, primeiro o papi vai lê-lo, depois tu.Canoas, 28/05/03”>O Apanhador no Campo de Centeio . J. D. Salinger
>Enviada por Michelle Martins (coleção particular)
>Ela conta: Quando eu tinha 13-14 anos, passei por uma fase bem rebelde/adolescente. E como sempre amei livros, escutei falar sobre um tal de Holden Caulfield que muito me interessou porque o tal menino/personagem parecia me compreender como ninguém.Assim que soube da história e do livro, o pedi para o meu pai, que me disse que não me daria o livro, pois, se eu o lesse, era perigoso que eu “quisesse fugir de casa”. Era uma brincadeira, mas denotava alguma preocupação.Sei que passei quase um ano procurando o livro em diversas livrarias/bibliotecas, afinal naquela época a internet ainda não tinha todo o alcance que tem hoje e nunca o encontrei.Quando já tinha quase desistido, meu pai me presenteou com o livro do nada, com a condição de que ele o leria primeiro, afinal estava preocupado com o efeito que a história causaria sobre mim.Toda essa história acabou por tornar “O apanhador no campo de centeio” ainda mais interessante para mim. E até hoje é um dos meus livros preferidos.

"Querida Michelle!

Eis o livro que
tanto desejas.
Entretanto, primeiro
o papi vai lê-lo, depois tu.

Canoas, 28/05/03”


>O Apanhador no Campo de Centeio . J. D. Salinger

>Enviada por Michelle Martins (coleção particular)

>Ela conta: Quando eu tinha 13-14 anos, passei por uma fase bem rebelde/adolescente. E como sempre amei livros, escutei falar sobre um tal de Holden Caulfield que muito me interessou porque o tal menino/personagem parecia me compreender como ninguém.

Assim que soube da história e do livro, o pedi para o meu pai, que me disse que não me daria o livro, pois, se eu o lesse, era perigoso que eu “quisesse fugir de casa”. Era uma brincadeira, mas denotava alguma preocupação.

Sei que passei quase um ano procurando o livro em diversas livrarias/bibliotecas, afinal naquela época a internet ainda não tinha todo o alcance que tem hoje e nunca o encontrei.

Quando já tinha quase desistido, meu pai me presenteou com o livro do nada, com a condição de que ele o leria primeiro, afinal estava preocupado com o efeito que a história causaria sobre mim.

Toda essa história acabou por tornar “O apanhador no campo de centeio” ainda mais interessante para mim. E até hoje é um dos meus livros preferidos.

"Ao leitor que limitar-se a ler 5 ou 6 páginas e disser: - Não gostei, não compreendi.Se não compreende a este, então não te compreendes. Essa é a sua vida, a vida jovem, a vida que envelhece.”
>O Encontro Marcado . Fernando Sabino
>Enviada por Giovana T. L. dos Santos (encontrada em biblioteca)>Ela conta: Este livro foi indicação da aula de literatura. Então fui à biblioteca e achei o livro que, para a minha surpresa, continha essa (linda) dedicatória.

"Ao leitor que limitar-se
a ler 5 ou 6 páginas e
disser: - Não gostei, não compreendi.

Se não compreende a este, então não te compreendes.
Essa é a sua vida, a vida jovem, a vida que envelhece.”



>O Encontro Marcado . Fernando Sabino

>Enviada por Giovana T. L. dos Santos (encontrada em biblioteca)

>Ela conta: Este livro foi indicação da aula de literatura. Então fui à biblioteca e achei o livro que, para a minha surpresa, continha essa (linda) dedicatória.