o livro é seu. eu te dedico.
"Sempre usei a leitura como uma formade me desligar, temporariamente da desordemda vida e do caos dos pensamentos; umapausa pra respirar. É o meu SEGUNDO instrumentomais eficaz para aplacar a inquietude.O PRIMEIRO deles é a consciência acercado apoio e amor incondicionais de algumas valiosas pessoas.
Feliz nova idade!
Com carinho, …”
>1984 . George Orwell
>Enviada por leitora anônima (coleção particular)

"Sempre usei a leitura como uma forma
de me desligar, temporariamente da desordem
da vida e do caos dos pensamentos; uma
pausa pra respirar. É o meu SEGUNDO instrumento
mais eficaz para aplacar a inquietude.

O PRIMEIRO deles é a consciência acerca
do apoio e amor incondicionais de algumas valiosas pessoas.

Feliz nova idade!

Com carinho, …”



>1984 . George Orwell

>Enviada por leitora anônima (coleção particular)

"Escrevo no sumário para listar tudo que você é:
Para viver um grande amor - meu grande amor
Chorinho para a amiga - minha amiga
Para uma menina com uma flor - minha menina
A casa materna - minha casa
A arte de ser velho - para todo o sempre
Te amo.
Daniel Corrêa,
11.10.13” 

>Uma mulher chamada guitarra - Crônicas escolhidas de Vinicius de Moraes
>Enviada por Nathália Pandeló (coleção particular)
>Ela conta: A dedicatória foi feita pelo meu namorado, Daniel Corrêa.
Como livrarias sempre brotam onde quer que nós vamos (juro, a gente não tem culpa!), temos o hábito de comprar livros um para o outro, ao invés de comprá-los para nós mesmos. Nesse dia, estávamos totalmente envolvidos com o centenário de Vinicius de Moraes - ambos trabalhamos com música e comunicação -, então ele me presenteou com o lado do Poetinha que eu mais queria conhecer: o de cronista.
Como não havia espaço para escrever nas páginas iniciais, Daniel aproveitou o sumário para me dedicar a coletânea. 

"Escrevo no sumário para listar tudo que você é:

Para viver um grande amor - meu grande amor

Chorinho para a amiga - minha amiga

Para uma menina com uma flor - minha menina

A casa materna - minha casa

A arte de ser velho - para todo o sempre

Te amo.

Daniel Corrêa,

11.10.13” 




>Uma mulher chamada guitarra - Crônicas escolhidas de Vinicius de Moraes

>Enviada por Nathália Pandeló (coleção particular)

>Ela conta: A dedicatória foi feita pelo meu namorado, Daniel Corrêa.

Como livrarias sempre brotam onde quer que nós vamos (juro, a gente não tem culpa!), temos o hábito de comprar livros um para o outro, ao invés de comprá-los para nós mesmos. Nesse dia, estávamos totalmente envolvidos com o centenário de Vinicius de Moraes - ambos trabalhamos com música e comunicação -, então ele me presenteou com o lado do Poetinha que eu mais queria conhecer: o de cronista.

Como não havia espaço para escrever nas páginas iniciais, Daniel aproveitou o sumário para me dedicar a coletânea. 

"Para Ana,
um grande beijo,estradas poeirentase hotéis decadentes.
Carol Bensimon out/2013.” 

>Todos nós Adorávamos Caubóis . Carol Bensimon
>Enviada por Ana Maria Mattos Reckziegel (coleção particular)
>Ela conta: Trata-se de literatura estilo Beatnik, foi lançado agora em outubro de 2013. 
Carol é uma conhecida dos tempos de faculdade. 
A dedicatória é pra mim.

"Para Ana,

um grande beijo,
estradas poeirentas
e hotéis decadentes.

Carol Bensimon out/2013.” 




>Todos nós Adorávamos Caubóis . Carol Bensimon

>Enviada por Ana Maria Mattos Reckziegel (coleção particular)

>Ela conta: Trata-se de literatura estilo Beatnik, foi lançado agora em outubro de 2013. 

Carol é uma conhecida dos tempos de faculdade. 

A dedicatória é pra mim.

“Joyce,Diretamente de um sebo cheiroso, te presenteio nessa data especial com nosso querido Kundera e te agradeço pela sustentável leveza da nossa amizade e do nosso encontro de almas. Que seja doce a leitura!Feliz Aniversário! Beijos, Isa! 13/08/13Ps.: Depois me empresta! Haha :p”
>A Imortalidade . Milan Kundera
>Enviada por Joyce  Almeida (coleção particular)
>Ela conta: Ganhei esse livro no meu aniversário. De uma pessoa do tipo que você sente conhecer há muito mais tempo ou talvez de outras vidas  (ou como ela mesma disse, daquelas pessoas com quem você sente ter tido um encontro de almas). E pra completar, o Kundera para inspirar o nosso encontro e colocar em palavras a nossa amizade.

“Joyce,

Diretamente de um sebo cheiroso,
te presenteio nessa data especial com
nosso querido Kundera e te agradeço
pela sustentável leveza da nossa amizade e
do nosso encontro de almas. Que seja doce
a leitura!

Feliz Aniversário!

Beijos, Isa!

13/08/13

Ps.: Depois me empresta! Haha :p”



>A Imortalidade . Milan Kundera

>Enviada por Joyce  Almeida (coleção particular)

>Ela conta: Ganhei esse livro no meu aniversário. De uma pessoa do tipo que você sente conhecer há muito mais tempo ou talvez de outras vidas  (ou como ela mesma disse, daquelas pessoas com quem você sente ter tido um encontro de almas). E pra completar, o Kundera para inspirar o nosso encontro e colocar em palavras a nossa amizade.

"Toda vez que leio o título dessa coletânea, me lembro de você =)
O mundo precisa de delicadeza.
Ainda bem que você está no mundo.
Ainda melhor que está no nosso mundo,
deliciando-o, tirando o amargor.
Com amor <3
Nina :)
Março de 2012”>Tempo de delicadeza
 . Affonso Romano de Sant’Anna
>Enviada por Mariane Monteiro (coleção particular)
>O livro é um presente que minha irmã recebeu de uma amiga, sem motivos comemorativos, só pela delicadeza.

"Toda vez que leio o
título dessa coletânea,
me lembro de você =)


O mundo precisa de
delicadeza.


Ainda bem que
você está no mundo.

Ainda melhor que
está no nosso mundo,

deliciando-o, tirando
o amargor.


Com amor <3

Nina :)

Março de 2012”


>Tempo de delicadeza
 . Affonso Romano de Sant’Anna

>Enviada por Mariane Monteiro (coleção particular)

>O livro é um presente que minha irmã recebeu de uma amiga, sem motivos comemorativos, só pela delicadeza.

"De: MarcosPara: Stéfany
Estranho como o amor aparece em nossas vidas com atos inofensivos, como ir a uma sorveteria em uma tarde de quinta-feira que acaba se tornando o início do nosso amor!Realmente inexplicável esse tal de amor&#8230;Feliz dia dos namorados minha doce e amada Stéfany, que esse seja apenas o primeiro de muitos anos juntos! Vamos crescer juntos e espalhar nosso amor pelo mundo!O difícil fazemos agora, o impossível levará algum tempo!&#8221; &gt;Amor em Minúscula . Francesc Milralles
&gt;Enviada por Stéfany Aguiar (coleção particular)
&gt;Ela conta: Esse livro é o preferido do meu namorado, ele me deu de presente no dia dos namorados. A história é justamente sobre pequenos acontecimentos que acabam mudando as pessoas e as fazem descobrir o amor. Como aconteceu conosco, uma simples ida a uma sorveteria foi o suficiente para nos conectarmos e nossas vidas mudarem para sempre.Eu amei o livro e amei mais ainda a dedicatória!  

"De: Marcos
Para: Stéfany

Estranho como o amor aparece em nossas vidas
com atos inofensivos, como ir a uma sorveteria
em uma tarde de quinta-feira que acaba se tornando
o início do nosso amor!

Realmente inexplicável esse tal de amor…

Feliz dia dos namorados minha doce e
amada Stéfany, que esse seja apenas o primeiro
de muitos anos juntos!

Vamos crescer juntos e espalhar nosso amor pelo mundo!

O difícil fazemos agora, o impossível levará algum tempo!”


 
>Amor em Minúscula . Francesc Milralles

>Enviada por Stéfany Aguiar (coleção particular)

>Ela conta: Esse livro é o preferido do meu namorado, ele me deu de presente no dia dos namorados. A história é justamente sobre pequenos acontecimentos que acabam mudando as pessoas e as fazem descobrir o amor. Como aconteceu conosco, uma simples ida a uma sorveteria foi o suficiente para nos conectarmos e nossas vidas mudarem para sempre.
Eu amei o livro e amei mais ainda a dedicatória!
 

"porque, às vezes,
a gente precisa 
mesmo de um 
copo de cólera&#8230;
feliz dia seu, céu. 

beijo grande 
(((aquele.abraço))) 
m.&#8221;
&gt; Um Copo de Cólera . Raduan Nassar
&gt; Enviada por leitor anônimo (coleção particular)
&gt; Ela conta: É isso. Às vezes, a gente precisa mesmo.

"porque, às vezes,

a gente precisa 

mesmo de um 

copo de cólera…

feliz dia seu, céu. 



beijo grande

(((aquele.abraço))) 

m.”




> Um Copo de Cólera . Raduan Nassar

> Enviada por leitor anônimo (coleção particular)

> Ela conta: É isso. Às vezes, a gente precisa mesmo.

"Estou preparandopara a minhaprimeira comunhão.
Rejane Ayres Pereira.-22-10-81&#8221;

&gt;Primeiro Catecismo da Doutrina Cristã
&gt;Enviada por Rejane Ayres (coleção particular)
&gt;Ela conta: Essa é de Rejaninha para Rejane&#8230; rs
Lembro quando fazia aula de catecismo e achava que Deus era um tipo de &#8220;mágico&#8221;&#8230; Só assim entendia a criação do mundo em 7 dias.

"Estou preparando
para a minha
primeira comunhão.

Rejane Ayres Pereira.
-22-10-81”

>Primeiro Catecismo da Doutrina Cristã

>Enviada por Rejane Ayres (coleção particular)

>Ela conta: Essa é de Rejaninha para Rejane… rs

Lembro quando fazia aula de catecismo e achava que Deus era um tipo de “mágico”… Só assim entendia a criação do mundo em 7 dias.

"Conha, vou roubar as palavras da Clarice com um pensamento que julgo lembrar você. 'Estou atrás do que fica atrás do  pensamento. Inútil querer me classificar&#8230; Entender é sempre limitado. As coisas não precisam mais fazer sentido. Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é possível fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada&#8230;&#8217; 
Feliz Aniversário!Desejo toda a felicidade do mundo. 
Beijo Carol 14.04.12&#8221;

&gt;A Hora da Estrela . Clarice Lispector
&gt;Enviada por Mariana Rachel (coleção particular)
&gt;Ela conta: Esse livro foi presente da minha cunhada. Pessoa meiga, sensível, adorável.
Amei a dedicatória, pois cita uma passagem que sempre gostei.

"Conha,
vou roubar as palavras da
Clarice com um pensamento
que julgo lembrar você.
'Estou atrás do que fica atrás do
pensamento. Inútil querer me classificar…
Entender é sempre limitado.
As coisas não precisam mais fazer sentido.
Não quero ter a terrível limitação
de quem vive apenas do que é possível
fazer sentido. Eu não: quero é uma
verdade inventada…’

Feliz Aniversário!
Desejo toda a felicidade do mundo.

Beijo Carol 14.04.12”



>A Hora da Estrela . Clarice Lispector

>Enviada por Mariana Rachel (coleção particular)

>Ela conta: Esse livro foi presente da minha cunhada. Pessoa meiga, sensível, adorável.

Amei a dedicatória, pois cita uma passagem que sempre gostei.
"Naira,
já que os romances românticos sãoseus preferidos e a cultura inglesa te encanta, um clássico do século XIX para suas tardes chuvosas e noites de frio em Curitiba. 
Que Elizabeth e Darcy te reforcem que, na vida em geral, preconceitos nos limitam e orgulhos nos atrasam. 
Com muito amor, 
Gorda 09/2013&#8221;

&gt;Orgulho e Preconceito . Jane Austen
&gt;Enviada por Paola Moraes (presente)
&gt;Ela conta: Minha irmã não é do tipo que lê muito, mas depois que arrisquei presenteá-la com um best seller no último natal, percebi que se trata mais de uma dificuldade para encontrar temáticas e narrativas que a interessem até a última página do que um desinteresse literário.
Espero que ao presenteá-la novamente em minha próxima visita a sua casa, Jane Austen consiga conquistá-la tanto quanto Jamie Mcguire. Não sou do grupo anti-best seller/paulo coelho/auto ajuda, mas acredito no poder dos grandes clássicos.
Ah, &#8220;Gorda&#8221; é o apelido carinhoso (juro!) que ganhei por volta dos 12 anos por amigas e família, mas que somente ela usa até hoje.

"Naira,

já que os romances românticos são
seus preferidos e a cultura inglesa te
encanta, um clássico do século XIX para
suas tardes chuvosas e noites de
frio em Curitiba.

Que Elizabeth e Darcy te reforcem
que, na vida em geral, preconceitos nos
limitam e orgulhos nos atrasam.

Com muito amor,

Gorda
09/2013”



>Orgulho e Preconceito . Jane Austen

>Enviada por Paola Moraes (presente)

>Ela conta: Minha irmã não é do tipo que lê muito, mas depois que arrisquei presenteá-la com um best seller no último natal, percebi que se trata mais de uma dificuldade para encontrar temáticas e narrativas que a interessem até a última página do que um desinteresse literário.

Espero que ao presenteá-la novamente em minha próxima visita a sua casa, Jane Austen consiga conquistá-la tanto quanto Jamie Mcguire. Não sou do grupo anti-best seller/paulo coelho/auto ajuda, mas acredito no poder dos grandes clássicos.

Ah, “Gorda” é o apelido carinhoso (juro!) que ganhei por volta dos 12 anos por amigas e família, mas que somente ela usa até hoje.