o livro é seu. eu te dedico.
"Querida Michelle!Eis o livro que tanto desejas. Entretanto, primeiro o papi vai lê-lo, depois tu.Canoas, 28/05/03”>O Apanhador no Campo de Centeio . J. D. Salinger
>Enviada por Michelle Martins (coleção particular)
>Ela conta: Quando eu tinha 13-14 anos, passei por uma fase bem rebelde/adolescente. E como sempre amei livros, escutei falar sobre um tal de Holden Caulfield que muito me interessou porque o tal menino/personagem parecia me compreender como ninguém.Assim que soube da história e do livro, o pedi para o meu pai, que me disse que não me daria o livro, pois, se eu o lesse, era perigoso que eu “quisesse fugir de casa”. Era uma brincadeira, mas denotava alguma preocupação.Sei que passei quase um ano procurando o livro em diversas livrarias/bibliotecas, afinal naquela época a internet ainda não tinha todo o alcance que tem hoje e nunca o encontrei.Quando já tinha quase desistido, meu pai me presenteou com o livro do nada, com a condição de que ele o leria primeiro, afinal estava preocupado com o efeito que a história causaria sobre mim.Toda essa história acabou por tornar “O apanhador no campo de centeio” ainda mais interessante para mim. E até hoje é um dos meus livros preferidos.

"Querida Michelle!

Eis o livro que
tanto desejas.
Entretanto, primeiro
o papi vai lê-lo, depois tu.

Canoas, 28/05/03”


>O Apanhador no Campo de Centeio . J. D. Salinger

>Enviada por Michelle Martins (coleção particular)

>Ela conta: Quando eu tinha 13-14 anos, passei por uma fase bem rebelde/adolescente. E como sempre amei livros, escutei falar sobre um tal de Holden Caulfield que muito me interessou porque o tal menino/personagem parecia me compreender como ninguém.

Assim que soube da história e do livro, o pedi para o meu pai, que me disse que não me daria o livro, pois, se eu o lesse, era perigoso que eu “quisesse fugir de casa”. Era uma brincadeira, mas denotava alguma preocupação.

Sei que passei quase um ano procurando o livro em diversas livrarias/bibliotecas, afinal naquela época a internet ainda não tinha todo o alcance que tem hoje e nunca o encontrei.

Quando já tinha quase desistido, meu pai me presenteou com o livro do nada, com a condição de que ele o leria primeiro, afinal estava preocupado com o efeito que a história causaria sobre mim.

Toda essa história acabou por tornar “O apanhador no campo de centeio” ainda mais interessante para mim. E até hoje é um dos meus livros preferidos.

"Ao leitor que limitar-se a ler 5 ou 6 páginas e disser: - Não gostei, não compreendi.Se não compreende a este, então não te compreendes. Essa é a sua vida, a vida jovem, a vida que envelhece.”
>O Encontro Marcado . Fernando Sabino
>Enviada por Giovana T. L. dos Santos (encontrada em biblioteca)>Ela conta: Este livro foi indicação da aula de literatura. Então fui à biblioteca e achei o livro que, para a minha surpresa, continha essa (linda) dedicatória.

"Ao leitor que limitar-se
a ler 5 ou 6 páginas e
disser: - Não gostei, não compreendi.

Se não compreende a este, então não te compreendes.
Essa é a sua vida, a vida jovem, a vida que envelhece.”



>O Encontro Marcado . Fernando Sabino

>Enviada por Giovana T. L. dos Santos (encontrada em biblioteca)

>Ela conta: Este livro foi indicação da aula de literatura. Então fui à biblioteca e achei o livro que, para a minha surpresa, continha essa (linda) dedicatória.



”Belle, de agora em diante, escolha bem as palavras para falar comigo! 
Com um grande beijo, Djalma. 15/09/04”


>Novo Dicionário da Lingua Portuguesa . Aurélio Buarque de Holanda
>Enviada por Sarah Curty (coleção particular da família)
>Ela conta: Sempre fomos muito curiosos aqui em casa. O significado das palavras sempre foi importantíssimo e o uso de dicionários é constante. Por isso, meu pai decidiu comprar o Novo Dicionário Aurélio para melhorar nossas pesquisas.
Mais do que uma simples dedicatória, mostra o bom humor do meu pai e a cumplicidade dele e da minha mãe mesmo após 30 anos casados. 
Mostra também, que já está na hora de compramos um novo dicionário com as novas regras de ortografia  :)


”Belle, de agora em diante,
escolha bem as palavras
para falar comigo!

Com um grande beijo,
Djalma.
15/09/04”



>Novo Dicionário da Lingua Portuguesa . Aurélio Buarque de Holanda

>Enviada por Sarah Curty (coleção particular da família)

>Ela conta: Sempre fomos muito curiosos aqui em casa. O significado das palavras sempre foi importantíssimo e o uso de dicionários é constante. Por isso, meu pai decidiu comprar o Novo Dicionário Aurélio para melhorar nossas pesquisas.

Mais do que uma simples dedicatória, mostra o bom humor do meu pai e a cumplicidade dele e da minha mãe mesmo após 30 anos casados. 
Mostra também, que já está na hora de compramos um novo dicionário com as novas regras de ortografia  :)


"Anja, amor da minha vida. Não sei se essa carta chegará aos seus cuidados, mas juro que fiz o possível e impossível para tal, assim como faço para te ter ao meu lado novamente. Saiba que sinto sua falta a cada segundo. Os dias neste inferno sempre tendem a piorar, porém tento sorrir logo cedo ao me recordar do seu sorriso bobo ao acordar. Tento também esquecer o cheiro da morte, me lembrando do seu cheiro após um banho demorado. Tento todos os dias não morrer de fome, saboreando em pensamentos os pratos que você sabe fazer (mesmo que alguns não fiquem como o esperado). Tento também não brigar com ninguém, me lembrando das brigas bobas que tínhamos.Lembrar de você faz o meu coração continuar batendo, quase mais que as batidas que muitos levam enjaulados aqui. Quando sentir medo, raiva ou solidão, imagine o quanto ainda temos pela frente, pois é isso (e apenas isso) que me importa. Te amo mais do que odeio essa guerra. Do seu, Vladek.J.A.M - 12/06/2013”>Maus - Relato de um Sobrevivente . Art Spiegelman
>Enviada por Agnes Caldas (coleção particular)
>Ela conta: Ganhei esse livro de dia dos namorados. É um livro maravilhoso, vale a pena ler. Lembro que ele me disse “Que absurdo. Ninguém vai pagar tudo isso por um livro em espanhol”. E aqui está o livro comigo.”
É um livro que fala sobre a vida de um judeu na Segunda Guerra Mundial. Conta tudo sobre ele, o que passou, como era sua vida antes da guerra e o mais apaixonante, conta sobre sua ex-mulher, o amor de sua vida, Anja.
Confesso que quando ganhei o livro esperava uma dedicatória com meu nome, dizendo tudo o que já passamos juntos. Mas me emocionei muito quando pude perceber que eu era a Anja da vida do meu namorado, Johnny. Talvez o tempo nos separe um dia, como fez com Vladek e Anja, mas ele jamais poderá apagar o que passamos juntos.

"Anja, amor da minha vida.

Não sei se essa carta chegará aos seus cuidados,
mas juro que fiz o possível e impossível para
tal, assim como faço para te ter ao meu lado novamente.

Saiba que sinto sua falta a cada segundo.
Os dias neste inferno sempre tendem a piorar, porém tento sorrir logo cedo ao me recordar do seu sorriso bobo ao acordar. Tento também esquecer o cheiro da morte, me lembrando do seu cheiro após um banho demorado. Tento todos os dias não morrer de fome, saboreando em pensamentos os pratos que você sabe fazer (mesmo que alguns não fiquem como o esperado). Tento também não brigar com ninguém, me lembrando das brigas bobas que tínhamos.

Lembrar de você faz o meu coração continuar batendo, quase mais que as batidas que muitos levam enjaulados aqui.

Quando sentir medo, raiva ou solidão, imagine o quanto ainda temos pela frente, pois é isso (e apenas isso) que me importa.

Te amo mais do que odeio essa guerra.

Do seu,
Vladek.

J.A.M - 12/06/2013”


>Maus - Relato de um Sobrevivente . Art Spiegelman

>Enviada por Agnes Caldas (coleção particular)

>Ela conta: Ganhei esse livro de dia dos namorados. É um livro maravilhoso, vale a pena ler. Lembro que ele me disse “Que absurdo. Ninguém vai pagar tudo isso por um livro em espanhol”. E aqui está o livro comigo.”

É um livro que fala sobre a vida de um judeu na Segunda Guerra Mundial. Conta tudo sobre ele, o que passou, como era sua vida antes da guerra e o mais apaixonante, conta sobre sua ex-mulher, o amor de sua vida, Anja.


Confesso que quando ganhei o livro esperava uma dedicatória com meu nome, dizendo tudo o que já passamos juntos. Mas me emocionei muito quando pude perceber que eu era a Anja da vida do meu namorado, Johnny. Talvez o tempo nos separe um dia, como fez com Vladek e Anja, mas ele jamais poderá apagar o que passamos juntos.

"Para João, João-alguém, João-todo-mundo, que já é um espetáculo e agora cada vez mais expande isso para transformar tudo em festa e alegria. Que este livro te ajude na jornada contra a caretice, a apatia, os podres poderes e a intolerância.Beijos,Flip
27/04/13”>Noites Tropicais . Nelson Motta
>Enviada por Felipe Ivanicska (presente)>Ele conta: Dei para ele o Noites Tropicais, que conta a história da música brasileira dos anos 50 aos 90, visto de perto. Entreguei pra ele no dia do show da Bárbara Eugênia com o Pélico abrindo pra ela, a quem a produtora que João ajudou a fundar trouxeram pela primeira vez para BH.

"Para João, João-alguém, João-todo-mundo,
que já é um espetáculo e agora
cada vez mais expande isso para transformar
tudo em festa e alegria. Que este livro te
ajude na jornada contra a caretice, a apatia,
os podres poderes e a intolerância.

Beijos,
Flip

27/04/13”



>Noites Tropicais . Nelson Motta

>Enviada por Felipe Ivanicska (presente)

>Ele conta: Dei para ele o Noites Tropicais, que conta a história da música brasileira dos anos 50 aos 90, visto de perto. Entreguei pra ele no dia do show da Bárbara Eugênia com o Pélico abrindo pra ela, a quem a produtora que João ajudou a fundar trouxeram pela primeira vez para BH.

"Ju,me sinto muito feliz por termos completado quatro anos juntos! E espero que o nosso relacionamento dure por muitos anos.E também espero que esse presente seja útil e te proporcione ‘orgasmos mentais’ assim como os que já me desse.Te amo muito! Tu és muito especial.Lucas - agosto de 2010”
>A Cultura do Romance . Franco Morreti (Org.)
>Enviada por Juliana Grossi (coleção particular)
>Ela conta: Ganhei esse livro de presente de namoro de um ex. Nosso relacionamento sempre foi marcado por muita cumplicidade e ótimas conversas, por isso, os “orgasmos mentais”. O relacionamento acabou, mas ficaram as boas lembranças e tudo que aprendemos juntos.

"Ju,
me sinto muito feliz por
termos completado quatro
anos juntos! E espero que
o nosso relacionamento dure
por muitos anos.
E também espero que
esse presente seja útil e
te proporcione ‘orgasmos mentais’
assim como os que já me desse.

Te amo muito! Tu és muito
especial.
Lucas - agosto de 2010”



>A Cultura do Romance . Franco Morreti (Org.)

>Enviada por Juliana Grossi (coleção particular)

>Ela conta: Ganhei esse livro de presente de namoro de um ex. Nosso relacionamento sempre foi marcado por muita cumplicidade e ótimas conversas, por isso, os “orgasmos mentais”. O relacionamento acabou, mas ficaram as boas lembranças e tudo que aprendemos juntos.





"De certo, existem três coisas que poucas pessoas resistem:um bom livro, chocolate meio-amargo e sorrisos doces.
Feliz páscoa gatinha
Syro Lacerda.”
>Livro Morte Súbita . JK Rowling
>Enviada por Marina Morgan (coleção particular)
>Ela conta: Ganhei esse livro do meu namorado de presente de páscoa, quando nós nem namorávamos ainda. Foi uma surpresa, e o primeiro presente que eu ganhei dele, junto com uma barra de chocolate meio amargo :) 

"De certo, existem três coisas 
que poucas pessoas resistem:
um bom livro, chocolate meio-
amargo e sorrisos doces.

Feliz páscoa gatinha

Syro Lacerda.”



>Livro Morte Súbita . JK Rowling

>Enviada por Marina Morgan (coleção particular)

>Ela conta: Ganhei esse livro do meu namorado de presente de páscoa, quando nós nem namorávamos ainda. Foi uma surpresa, e o primeiro presente que eu ganhei dele, junto com uma barra de chocolate meio amargo :) 

“‘Achei que talvez você já estivesse crescida demais para esse tipo de conto, mas pode ser que ninguém esteja.
Pensei em você, nos seus livros e palavras, essa história estranha me veio à cabeça.
Espero que você encontre alguma coisa boa nela.’ pág. 385
Com todo amor”
>A Menina que Roubava Livros . Markus Zusak
>Enviada por Ana Maria Lima
>Ela conta: Minha irmã achou somente a página da dedicatória em pedaços dentro de uma caixa no último dia dos namorados. Eu reconheci, pois foi o último livro que li.
Na página 385, o fim do livro:
"Tive vontade de dizer muitas coisas à roubadora de livros, sobre a beleza e a brutalidade. Mas que poderia dizer-lhe sobre essas coisas que ela já não soubesse? Tive vontade de lhe explicar que constantemente superestimo e subestimo a raça humana — que raras vezes simplesmente a estimo. Tive vontade de lhe perguntar como uma mesma coisa podia ser tão medonha e tão gloriosa, e ter palavras e histórias tão amaldiçoadas e tão brilhantes. Nenhuma dessas coisas, porém, saiu de minha boca.
Tudo que pude fazer foi virar-me para Liesel Meminger e lhe dizer a única verdade que realmente sei. Eu a disse à menina que roubava livros e a digo a você agora. 
• UMA ÚLTIMA NOTA DE SUA NARRADORA • 
Os seres humanos me assombram.”

“‘Achei que talvez você já estivesse
crescida demais para esse tipo
de conto, mas pode ser que ninguém
esteja.

Pensei em você, nos seus livros
e palavras, essa história estranha
me veio à cabeça.

Espero que você encontre alguma
coisa boa nela.’ 
pág. 385

Com todo amor”


>A Menina que Roubava Livros . Markus Zusak

>Enviada por Ana Maria Lima

>Ela conta: Minha irmã achou somente a página da dedicatória em pedaços dentro de uma caixa no último dia dos namorados. Eu reconheci, pois foi o último livro que li.

Na página 385, o fim do livro:

"Tive vontade de dizer muitas coisas à roubadora de livros, sobre a beleza e a brutalidade. Mas que poderia dizer-lhe sobre essas coisas que ela já não soubesse? Tive vontade de lhe explicar que constantemente superestimo e subestimo a raça humana — que raras vezes simplesmente a estimo. Tive vontade de lhe perguntar como uma mesma coisa podia ser tão medonha e tão gloriosa, e ter palavras e histórias tão amaldiçoadas e tão brilhantes. Nenhuma dessas coisas, porém, saiu de minha boca.

Tudo que pude fazer foi virar-me para Liesel Meminger e lhe dizer a única verdade que realmente sei. Eu a disse à menina que roubava livros e a digo a você agora. 

• UMA ÚLTIMA NOTA DE SUA NARRADORA • 

Os seres humanos me assombram.”

"Mari, que a sua vida lhe traga histórias emocionantes e ricas para rederem não só 1, mas vários livros. Beijo, Adrina 16.12.11”
>50 Anos a Mil - Lobão com Claudio Tognolli
>Enviada por Mariana Rachel  (coleção particular)>Ela conta: Ganhei esse livro no amigo-oculto do escritório, de uma colega de trabalho que se tornou uma amiga, das melhores.Lembro que na ocasião do sorteio a vi comentar com outra pessoa que estava muito feliz com quem havia sorteado. E isso me fez feliz também.Por ter sido um presente de alguém que amo e admiro, é um dos mais especiais.

"Mari,
que a sua vida lhe traga
histórias emocionantes e
ricas para rederem não
só 1, mas vários livros.

Beijo,
Adrina 16.12.11”



>50 Anos a Mil - Lobão com Claudio Tognolli

>Enviada por Mariana Rachel  (coleção particular)

>Ela conta: Ganhei esse livro no amigo-oculto do escritório, de uma colega de trabalho que se tornou uma amiga, das melhores.
Lembro que na ocasião do sorteio a vi comentar com outra pessoa que estava muito feliz com quem havia sorteado. E isso me fez feliz também.
Por ter sido um presente de alguém que amo e admiro, é um dos mais especiais.



"Dedicatoria:
Eu dedico esse livro a minha avó porque está sempre ao meu lado te amo vovó”>A História da Vovó .  Paola Sardenberg
>Enviada por Paola Sardenberg (coleção particular)
>Ela conta: Conheci o projeto e revirei todos os meus livros a procura de uma dedicatória legal para mandar, não achei nenhuma. Os dias passaram. Há duas semanas perdi a minha avó, e diante de toda confusão com a partida de alguém, me veio essa surpresa: o livro escrito por mim na alfabetização (em 2000), e dedicado a ela. Ao abri-lo, não vi apenas minha letrinha de criança aprendendo a escrever, vi o tamanho do amor que sentia por aquela mulher. Saudades.

"Dedicatoria:

Eu dedico esse livro a minha
avó porque está sempre ao meu
lado te amo vovó”



>A História da Vovó .  Paola Sardenberg

>Enviada por Paola Sardenberg (coleção particular)

>Ela conta: Conheci o projeto e revirei todos os meus livros a procura de uma dedicatória legal para mandar, não achei nenhuma. Os dias passaram. Há duas semanas perdi a minha avó, e diante de toda confusão com a partida de alguém, me veio essa surpresa: o livro escrito por mim na alfabetização (em 2000), e dedicado a ela. Ao abri-lo, não vi apenas minha letrinha de criança aprendendo a escrever, vi o tamanho do amor que sentia por aquela mulher. Saudades.