o livro é seu. eu te dedico.
"Thays,
Uma vez eu disse-te que todos deveriam ler Lolitauma vez na vida.  Eu quis ser o intermédio entre você e essa obra incrível de Nabokov.
Você mudou minha vida e eu estou retribuindo.
Com ‘todo amor que houver nessa vida’, 
Naiana Moraes 17/10/2014”
 
>Lolita . Vladimir Nabokov
>Enviada por Thays Figueiredo Lobato (coleção particular)
>Ela conta: Estávamos em uma livraria, quando ao me deparar com este livro, acabei por ler seu título em voz alta. Naiana falou que todos deveriam ler Lolita pelo menos uma vez na vida, e lhe disse que nunca tinha lido. Quando chegou meu aniversário, ela me presenteou com o livro em questão. E estava certa, é uma obra incrível que todos deveriam ler. 

"Thays,

Uma vez eu disse-te que 
todos deveriam ler Lolita
uma vez na vida.  Eu 
quis ser o intermédio 
entre você e essa obra 
incrível de Nabokov.

Você mudou minha 
vida e eu estou retribuindo.

Com ‘todo amor que houver nessa vida’, 

Naiana Moraes 
17/10/2014”

 

>Lolita . Vladimir Nabokov

>Enviada por Thays Figueiredo Lobato (coleção particular)

>Ela conta: Estávamos em uma livraria, quando ao me deparar com este livro, acabei por ler seu título em voz alta. Naiana falou que todos deveriam ler Lolita pelo menos uma vez na vida, e lhe disse que nunca tinha lido. Quando chegou meu aniversário, ela me presenteou com o livro em questão. E estava certa, é uma obra incrível que todos deveriam ler. 

"paula,
o sol é para todos,mas eu te doua minha parte.
você é a minha luz.
02/03/13   Thar”

>O Sol é Para Todos . Haper Lee
>Enviada por Maria Paula Menecucci (coleção particular)>Ela conta: Eu tinha uma lista de livros que eu queria ler e que nunca achava em lugar nenhum, durante bastante tempo. E meu pai também procurava, sem que eu soubesse. É um livro sobre pais e filhos que ele tinha lido quando era criança e sempre se lembrava. Ele conseguiu achar num sebo e me deu de presente de aniversário com essa dedicatória deliciosa.
(O livro também tem uma assinatura de algum dono anterior).

"paula,

o sol é para todos,
mas eu te dou
a minha parte.

você é a minha luz.

02/03/13   Thar”



>O Sol é Para Todos . Haper Lee

>Enviada por Maria Paula Menecucci (coleção particular)

>Ela conta: Eu tinha uma lista de livros que eu queria ler e que nunca achava em lugar nenhum, durante bastante tempo. E meu pai também procurava, sem que eu soubesse. É um livro sobre pais e filhos que ele tinha lido quando era criança e sempre se lembrava. Ele conseguiu achar num sebo e me deu de presente de aniversário com essa dedicatória deliciosa.

(O livro também tem uma assinatura de algum dono anterior).

"Carla, o sentimento de revolução se compõe, também, da poesia de conquistar e subverter o mundo. A poesia dá ao homem e a mulher a capacidade de sentir e amar o outro, talvez, este seja o mais profundo ato revolucionário, pois é assim que se aprende os sentires, a beleza e o encanto das coisas simples, é por isso que a poesia, a arte … não exigem forma, e como poderia? Se o próprio ritmo da vida, quando não acorrentado pela sociedade capitalista, é capaz de nos encantar e de nos fazer pensar no outro como pensamos em nós.
Para nós, as viajantes*, desejo todo o encanto e subversão da poesia de Brecht.
* VIAJANTES: pessoas que desejam conhecer o mundo, não seus pontos turísticos, famosos e caros; mas as pessoas, as culturas, e isso, nós fazemos até mesmo lendo um livro.” (em outra página)>Bertolt Brecht - Poemas 1913 - 1956
>Enviada por Carla Mariani (coleção particular)
>Ela conta: Era pra ser presente de aniversário, mas a minha amiga, companheira de viagem  - de sonhos e de dia-a-dia - esperou 6 meses para me entregá-lo. Explicou que precisava conhecê-lo antes para se certificar que era o presente certo. E acertou, no livro e no momento. A poesia de Brecht reacendeu utopias, me fez lembrar que há encontros que acontecem para subverter, para nos fazer acreditar em nós, na vida e no que virá.

"Carla, o sentimento de revolução se compõe, também, da poesia de conquistar e subverter o mundo. A poesia dá ao homem e a mulher a capacidade de sentir e amar o outro, talvez, este seja o mais profundo ato revolucionário, pois é assim que se aprende os sentires, a beleza e o encanto das coisas simples, é por isso que a poesia, a arte … não exigem forma, e como poderia? Se o próprio ritmo da vida, quando não acorrentado pela sociedade capitalista, é capaz de nos encantar e de nos fazer pensar no outro como pensamos em nós.

Para nós, as viajantes*, desejo todo o encanto e subversão da poesia de Brecht.

* VIAJANTES: pessoas que desejam conhecer o mundo, não seus pontos turísticos, famosos e caros; mas as pessoas, as culturas, e isso, nós fazemos até mesmo lendo um livro.” (em outra página)




>Bertolt Brecht - Poemas 1913 - 1956

>Enviada por Carla Mariani (coleção particular)

>Ela conta: Era pra ser presente de aniversário, mas a minha amiga, companheira de viagem  - de sonhos e de dia-a-dia - esperou 6 meses para me entregá-lo. Explicou que precisava conhecê-lo antes para se certificar que era o presente certo. E acertou, no livro e no momento. A poesia de Brecht reacendeu utopias, me fez lembrar que há encontros que acontecem para subverter, para nos fazer acreditar em nós, na vida e no que virá.

"Leo,
esse livro é de uma leveza que pesaem algum lugar vazio no meio dagente.
Fala das tranformações que nós, as cir-cunstâncias e as pessoas nos fazem passar.
E de como a vida tá aí pra genteviver experiências que fazem com que o coração bombeie cor ao nosso mundo.
Boa sorte nessa nova jornada!
Amo você.
Lu
02.fev.13”


>Daytripper . Fábio Moon e Gabriel Bá
>Enviada por Luísa Moreira
>Ela conta: O Leo é um amigo muito muito querido de longa data. Nessa época, ele estava indo para o segundo ano de cursinho, sofrendo muito com a luta para entrar numa faculdade pública de medicina. Foi quando resolveu, incentivado pela família, viajar pra longe por um mês, sozinho. Comprei o livro com papel fino pra que ele pudesse levar na viagem sem que ficasse pesado. No final, nem levou. Mas o carinho foi com ele…
Outro dia, achei esse livro na casa de uma amiga em comum e peguei pra reler, pois lembrava que gostara muito. Achei essa dedicatória que fiz a ele na época e achei que fosse a oportunidade de participar (finalmente!) desse projeto que gosto tanto! 

"Leo,

esse livro é de uma leveza que pesa
em algum lugar vazio no meio da
gente.

Fala das tranformações que nós, as cir-
cunstâncias e as pessoas nos fazem 
passar.

E de como a vida tá aí pra gente
viver experiências que fazem com que 
o coração bombeie cor ao nosso mundo.

Boa sorte nessa nova jornada!

Amo você.

Lu

02.fev.13”




>Daytripper . Fábio Moon e Gabriel Bá

>Enviada por Luísa Moreira

>Ela conta: O Leo é um amigo muito muito querido de longa data. Nessa época, ele estava indo para o segundo ano de cursinho, sofrendo muito com a luta para entrar numa faculdade pública de medicina. Foi quando resolveu, incentivado pela família, viajar pra longe por um mês, sozinho. Comprei o livro com papel fino pra que ele pudesse levar na viagem sem que ficasse pesado. No final, nem levou. Mas o carinho foi com ele…

Outro dia, achei esse livro na casa de uma amiga em comum e peguei pra reler, pois lembrava que gostara muito. Achei essa dedicatória que fiz a ele na época e achei que fosse a oportunidade de participar (finalmente!) desse projeto que gosto tanto! 

"Mãe,
Sabia que os livros têm vida? É por esse motivo que escrevo a lápis essas palavras. Não me apetece a ideia de perpetuá-lo como um presente que, antes meu, agora jazerá em sua estante engrossando sua coleção de semelhantes. Não posso marcá-lo a tinta porque ele manifestou sua vontade de pertencer a você. Ao ler os dois primeiros contos, veio a vontade súbita de te presentear com esse exemplar. Na verdade, foi a manifestação do próprio livro penetrando em meu subconsciente. Ele deseja ser livre e ter o fim que você destinar. Dessa forma, eu prontamente obedeci e agora o auxilio a alcançar o seu porvir. Às vezes você pode esquecê-lo em um canto, ou apagar essas escritas e presenteá-lo para outrem. Talvez você o mantenha. E à medida que essa dedicatória esmaece pelo castigo do tempo, desejo que suas memórias sigam o sentido oposto do rio e lembre-se sempre desse amigo que só te deseja o bem. Qualquer que seja o destino desse livro, qualquer seja o destino de nós dois, jamais me esquecerei dos teus cuidados de mãe. Serão tão claros em minha memória como um dia de sol no campo com passarinhos entoando sua melhor canção.
Essa é a primeira dedicatória que faço na vida, então espero que essas linhas consigam exprimir a importância que tens em minha vida. Me aventurar a escrever isso e presenteá-la fora de época, só me dá a impressão que é disso que amizade se trata.
Com carinho, Luks.”

>Contos em 4º Dimensão . Helvídio Gouvêa Filho
>Enviada por Lucas Guarnieri (presente)
>Ele conta: Esse livro é meu e eu o presentiei a Nathalia Almeida que é chamada por mim de mãe devido aos seus cuidados de mãe. É uma amizade muito grande e sincera que me despertou a vontade de presenteá-la sem a necessidade de haver uma data comemorativa específica. 

 

"Mãe,

Sabia que os livros têm vida? É por esse motivo que escrevo a lápis essas palavras. Não me apetece a ideia de perpetuá-lo como um presente que, antes meu, agora jazerá em sua estante engrossando sua coleção de semelhantes. Não posso marcá-lo a tinta porque ele manifestou sua vontade de pertencer a você. Ao ler os dois primeiros contos, veio a vontade súbita de te presentear com esse exemplar. Na verdade, foi a manifestação do próprio livro penetrando em meu subconsciente. Ele deseja ser livre e ter o fim que você destinar. Dessa forma, eu prontamente obedeci e agora o auxilio a alcançar o seu porvir. Às vezes você pode esquecê-lo em um canto, ou apagar essas escritas e presenteá-lo para outrem. Talvez você o mantenha. E à medida que essa dedicatória esmaece pelo castigo do tempo, desejo que suas memórias sigam o sentido oposto do rio e lembre-se sempre desse amigo que só te deseja o bem. Qualquer que seja o destino desse livro, qualquer seja o destino de nós dois, jamais me esquecerei dos teus cuidados de mãe. Serão tão claros em minha memória como um dia de sol no campo com passarinhos entoando sua melhor canção.

Essa é a primeira dedicatória que faço na vida, então espero que essas linhas consigam exprimir a importância que tens em minha vida. Me aventurar a escrever isso e presenteá-la fora de época, só me dá a impressão que é disso que amizade se trata.

Com carinho, Luks.”




>Contos em 4º Dimensão . Helvídio Gouvêa Filho

>Enviada por Lucas Guarnieri (presente)

>Ele conta: Esse livro é meu e eu o presentiei a Nathalia Almeida que é chamada por mim de mãe devido aos seus cuidados de mãe. É uma amizade muito grande e sincera que me despertou a vontade de presenteá-la sem a necessidade de haver uma data comemorativa específica. 

 

"Com carinho para Jairo Magaveem 03.01.13
'A vida não é medida pelo númerode vezes que respiramos, mas pelos lugares e momentos capazes de tirar o nosso fôlego’
Espero que juntos, possamosdescobrir esses lugares e perdero fôlego, pois sei que ao teu ladojá tenho vivido uma grande aventura!
Eu Te Amo meu Amore =)Bjim no nariz
Joice”
>Mil Lugares para Conhecer Antes de Morrer . Patricia Schultz
>Enviada por Joice Monteiro 

"Com carinho para Jairo Magave
em 03.01.13

'A vida não é medida pelo número
de vezes que respiramos, mas pelos lugares e 
momentos capazes de tirar o nosso fôlego’

Espero que juntos, possamos
descobrir esses lugares e perder
o fôlego, pois sei que ao teu lado
já tenho vivido uma grande aventura!

Eu Te Amo meu Amore =)
Bjim no nariz

Joice”



>Mil Lugares para Conhecer Antes de Morrer . Patricia Schultz

>Enviada por Joice Monteiro 

"Aline,
Esta lembrança vem diretamente do lugar onde foi escrita. Sei que as energias permanecem e espero que um pouco de Kafka e um pouco de Praga cheguem até você. Também espero que as energias de toda jornada que este livro passará até chegar em você te alcancem e te falem de mim e de nós, esse nó que distância e tempo não levam!
Te desejo sempre o melhor!
Amo você…
Anna - Praga 30.06.14”

>”Venkosky lékar” (Um médico rural) . Franz Kafka
>Enviada por Aline Rezende (coleção particular)
>Ela conta: A Anna ocupa um lugar muito especial na minha vida, nos conhecemos na UFPR quando começamos Ciências Sociais em 2006, e de lá pra cá foi tanta coisa linda que não caberiam em dedicatória, mas em livro inteiro. Ela é daquelas pessoas que a gente não deveria passar a vida sem conhecer, vibrante, admirável, minha grande amiga e madrinha de coração do meu piá. Agora está fazendo o doutorado na França, e nas andanças pelo Velho Continente arranjou tempo e carinho pra me enviar esse mimo, do meu Kafka querido em sua língua nativa e desde sua terra mater. Me arrancou lágrimas nessa segunda-feira fria do sul desse mundo.

"Aline,

Esta lembrança vem diretamente do lugar onde foi escrita. Sei que as energias permanecem e espero que um pouco de Kafka e um pouco de Praga cheguem até você. Também espero que as energias de toda jornada que este livro passará até chegar em você te alcancem e te falem de mim e de nós, esse nó que distância e tempo não levam!

Te desejo sempre o melhor!

Amo você…

Anna - Praga 30.06.14”



>”Venkosky lékar” (Um médico rural) . Franz Kafka

>Enviada por Aline Rezende (coleção particular)

>Ela conta: A Anna ocupa um lugar muito especial na minha vida, nos conhecemos na UFPR quando começamos Ciências Sociais em 2006, e de lá pra cá foi tanta coisa linda que não caberiam em dedicatória, mas em livro inteiro. Ela é daquelas pessoas que a gente não deveria passar a vida sem conhecer, vibrante, admirável, minha grande amiga e madrinha de coração do meu piá. Agora está fazendo o doutorado na França, e nas andanças pelo Velho Continente arranjou tempo e carinho pra me enviar esse mimo, do meu Kafka querido em sua língua nativa e desde sua terra mater. Me arrancou lágrimas nessa segunda-feira fria do sul desse mundo.

"Pedro, a história contida neste livro é, acima de tudo,uma celebração a amizade.
Entre os Will há dois mundos;entre nós dois há duas centenas dekm, mas em ambos os casoshá a amizade para fazer a ponte.
Do seu amigo distante,
Robson Valentim”
>Will & Will - Um Nome, um Destino . John Green & David Levithan
>Enviada por Robsom Valentim (presente)
>Ele conta: Este livro eu estou mandando para o Pedro. Nós nunca nos vimos presencialmente, eu moro em Pernambuco e ele na Paraíba.
Entre nós só havia a internet e uma paixão em comum: a leitura.
Esse livro é como se fosse o marco inicial de uma amizade que timidamente surgiu entre as redes sociais, mas que não necessariamente permanecerá nelas.

"Pedro, a história contida neste 
livro é, acima de tudo,
uma celebração a amizade.

Entre os Will há dois mundos;
entre nós dois há duas centenas de
km, mas em ambos os casos
há a amizade para fazer a ponte.

Do seu amigo distante,

Robson Valentim”



>Will & Will - Um Nome, um Destino . John Green & David Levithan

>Enviada por Robsom Valentim (presente)

>Ele conta: Este livro eu estou mandando para o Pedro. Nós nunca nos vimos presencialmente, eu moro em Pernambuco e ele na Paraíba.

Entre nós só havia a internet e uma paixão em comum: a leitura.

Esse livro é como se fosse o marco inicial de uma amizade que timidamente surgiu entre as redes sociais, mas que não necessariamente permanecerá nelas.

"Carlos Henrique,
O que eu quero é que nosso mundo seja encantado de novo, mesmo que para isso haja despedidas…
Pirapora, 20/04/93”>A Menina e o Pássaro Encantado . Rubem Alves
>Enviada por Mariana Mello (coleção particular)
>Ela conta: Este livro foi um presente da minha mãe para o meu pai, sendo também lido por mim na infância. A dedicatória faz todo sentido pois o livro é uma história sobre uma menina que aprende o sentido da saudade tendo que se despedir de seu pássaro, já que esse precisa viajar. Na época, e até hoje, meus pais convivem com a saudade, já que não moram juntos, mas mantém o casamento. 

"Carlos Henrique,

O que eu quero é que
nosso mundo seja
encantado de novo,
mesmo que para isso
haja despedidas…

Pirapora,
20/04/93”



>A Menina e o Pássaro Encantado . Rubem Alves

>Enviada por Mariana Mello (coleção particular)

>Ela conta: Este livro foi um presente da minha mãe para o meu pai, sendo também lido por mim na infância. A dedicatória faz todo sentido pois o livro é uma história sobre uma menina que aprende o sentido da saudade tendo que se despedir de seu pássaro, já que esse precisa viajar. Na época, e até hoje, meus pais convivem com a saudade, já que não moram juntos, mas mantém o casamento. 

"Um grande artista uma vez disse que só as crianças e os idosos conseguem encontrar a felicidade porque eles nunca estão atrás de algo a mais para as suas vidas, eles são felizes com o que possuem.
Então, Thays, espero que sempre que tudo fique sem cor e as coisas pareçam vazias que você pegue seu estojo de lápis e pinte tudo a sua forma e que use suas massinhas de modelar para preencher os espaços. 
Sejamos crianças. Que sempre estejamos felizes com o que temos e o que somos.
Wellington”
>O Menino Grapiúna . Jorge Amado
>Enviada por Thays Aquino (coleção particular)
>Ela conta: Um grande amigo trabalha em uma biblioteca pública e toda última segunda-feira do mês há a possibilidade dele pegar um livro. Sabendo de minha paixão por Jorge Amado e pela ótica alegre e despretensiosa da criança, por mais infértil que seja o terreno, ele me deu este exemplar. 

"Um grande artista uma vez disse que só as crianças e os idosos conseguem encontrar a felicidade porque eles nunca estão atrás de algo a mais para as suas vidas, eles são felizes com o que possuem.

Então, Thays, espero que sempre que tudo fique sem cor e as coisas pareçam vazias que você pegue seu estojo de lápis e pinte tudo a sua forma e que use suas massinhas de modelar para preencher os espaços. 

Sejamos crianças. Que sempre estejamos felizes com o que temos e o que somos.

Wellington”



>O Menino Grapiúna . Jorge Amado

>Enviada por Thays Aquino (coleção particular)

>Ela conta: Um grande amigo trabalha em uma biblioteca pública e toda última segunda-feira do mês há a possibilidade dele pegar um livro. Sabendo de minha paixão por Jorge Amado e pela ótica alegre e despretensiosa da criança, por mais infértil que seja o terreno, ele me deu este exemplar.